• FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE
  • FICAPE

Em Destaque

EDITAL - Alienação de Veículos

alt

 

Assembleia Geral - 24 de Março 2018

alt

 

 

Politica Florestal do Grupo de Certificação da FICAPE

alt

 

INFORMAÇÃO AO AGRICULTOR

Sr. Agricultor:

Tome atençao na preparação das caldas e à limpeza de equipamentos de aplicação de produtos fitofarmacêutico nas explorações agricolas/ florestais.

Para saber mais informações consulte aqui o folheto.

 

 

Financiado pelo Fundo Florestal Permanente

< Outubro 2018 >
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

incendios

Até 15 de março de 2018, os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais são obrigados a proceder à limpeza de vegetação, numa faixa de largura não inferior a 50 m, medida a partir da alvenaria exterior do edifício, sempre que esta faixa abranja terrenos ocupados com floresta, matos ou pastagens naturais. As copas das árvores devem estar afastadas 5 metros do edifício e a 4 metros umas das outras.

As coimas por incumprimento podem atingir o valor máximo de 10.000€ para particulares e 12.000€ no caso de pessoas coletivas.

Eliminando material inflamável à volta da sua casa, cria um espaço de segurança e reduz as hipóteses de um incêndio florestal atingir a sua habitação. Portugal sem fogos depende de todos.

Conta-mos com a melhor colaboração dos proprietários dos terrenos abrangidos, na certeza de que tudo farão para proteger a sua propriedade e o nosso território.

Para qualquer esclarecimento sobre o presente assunto, poderá contactar o Gabinete Técnico Florestal da Ficape, via telefone através do n.º 236 552 333, durante os dias úteis, das 9.00h às 13.00h e das 14.00h às 18.00h, ou ainda através do endereço de correio eletrónico: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar .

No âmbito dos pedidos de licenciamento de Plantações Florestais, informamos a todos os proprietários e produtores florestais a seguinte informação constante da plataforma do SI-ICNF e que passamos a transcrever:

“Em virtude da antecipação da entrada em vigor para o dia 1 de janeiro de 2018, da Lei n.º 77/2017, de 17 de agosto, que procede à primeira alteração do Decreto-Lei n.º 96/2013, informa-se que o SI ICNF- RJAAR está em fase de alteração e adequação aos novos requisitos legais para a submissão de pedidos de (re)arborização com espécies florestais.

No entanto, a execução dos novos requisitos legais só é eficaz a partir da data da entrada em vigor das portarias a que se refere a Lei n.º 77/2017, podendo os pedidos serem submetidos no SI ICNF- RJAAR.

Contudo a contagem dos prazos para análise e decisão pelo ICNF ficam suspensos até à entrada em vigor das mesmas, pelo que não devem ser consideradas as eventuais notificações geradas automaticamente pelo atual SI ICNF- RJAAR.

Por este facto, aconselha-se aguardarem pela publicação das portarias, sob pena de estarem a submeter pedidos ou comunicações prévias em incumprimento do que vier a ser estabelecido nas mesmas.”

Figueiró dos Vinhos, 09 de Janeiro de 18

A Direção

Orgãos Sociais Mandato 2017-2020

Mesa da Assembleia Geral

Presidente: Jorge Manuel de Jesus Agria

Vice-presidente: Luís Filipe da Silva Lopes

Secretário:Ana Filipa H. Almeida Godinho

Conselho Fiscal

Presidente: José Pedro Tavares Barbosa

Secretário: Manuel dos Santos Ventura

Relator: Constantino Agria Batista

Suplentes

António da Conceição Simões

Manuel Maria de Jesus Almeida

Direção

Presidente: Manuel Maria Nunes da Silva

Vice-Presidente: Jorge Manuel Batista Graça

Tesoureiro: António Joaquim Dias Lopes

1.º Secretário: José Martins Graça

2.º Secretário: Alexandre Paulo David Carvalho

Suplentes:

Custódio José Carvalho Rosa

João Manuel Batista Rosa

É com enorme satisfação que partilhamos com todos os cooperantes, proprietários florestais, fornecedores e clientes da FICAPE que já foram emitidos os certificados para a Gestão Florestal (SA-FM/COC-005135) e Cadeia de Custódia (SA-COC-005074).

 

Desta forma, iniciamos assim uma nova etapa na vida da Cooperativa no âmbito da Secção Florestal, há muito ambicionada e que trará garantidamente mais valor à nossa Floresta e à sua gestão na área de intervenção da FICAPE.

Contamos com o apoio de todos, pois a Floresta é um Património de todos e para todos. É um sector que movimenta toda uma corrente, em que os elos principais são os proprietários florestais e todos os prestadores de serviços que de forma direta e indireta contribuem para o desenvolvimento da fileira florestal.

Para consultar os certificados clique aqui: 1 e 2

Bem haja a todos aqueles que acreditaram neste projeto desde o principio e que contribuíram para a sua concretização!

No âmbito do processo de Certificação Florestal do Grupo FICAPE, solicitamos o preenchimento do formulário de consulta às partes interessadas, no sentido de proceder à recolha de comentários relativos à gestão florestal das explorações que fazem parte do Grupo de Certificação da FICAPE.

Caso seja necessário, estamos ao dispor para prestar quaisquer esclarecimentos.

Agradecemos a colaboração de todos nesta iniciativa!

Faça download do formulário aqui.

Abrem em breve candidaturas à Medida 8. Protecção e Reabilitação dos Povoamentos Florestais do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020.

Para mais informações Clique aqui (1 e 2)

“Acção: Controlo químico do Gorgulho do Eucalipto em Propriedades Florestais Privadas”

Na sequência de um encontro organizado pela FICAPE - Cooperativa Agrícola do Norte do Distrito de Leiria, C.R.L., em parceria com a Altri Florestal, dirigida aos proprietários privados de eucaliptal e também empresários do sector florestal, sob a temática: gorgulho do Eucalipto (Gonipterus platensis), a FICAPE procedeu recentemente a uma acção de controlo químico da praga, em propriedades florestais de vários produtores florestais dos concelhos de Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra e Pedrógão Grande.

Rhynchophorus ferrugineus Olivier, é actualmente um altdos insetos mais nocivos para as palmeiras em todo o mundo, provocando geralmente a morte da planta.

Surgiu pala primeira vez no Norte de África em 1993 na região do Egipto, e continou a expansão para a Europa, através de Itália, França, Espanha e Portugal.

O hospedeiro principal na bacia mediterrânica é a Phoenix canariensis (palmeiras das canárias), matando a palmeira em poucos meses após a instalação.

Sintomas

  • Folhas desprendidas da coroa e caidas no chão;
  • Orificios e galerias na base das folhas, podendo conter larvas e casulos;
  • Coroa desguarnecida no topo ou com um aspeto achatado pelo abatimentos das folhas centrais que amarelecem e secam;
  • Folíolos de folhas novas selecionados em ângulo ou com pontas truncadas a direito;
  • Amálgama de fibras cortadas e húmidas com um cheiro fétido.

Meios de Luta

  • Detecção de palmeiras infestadas;
  • Destruição cuidadosa das palmeiras;
  • Realização de Tratamento em plantas vizinhas susceptiveis sem sintomas;
  • Detecção de insectos de adultos com armadilhas;
  • Os tratamentos fitossanitários só devem ser feitos por pessoas ou entidades devidamente credenciadas para o efeito;
  • Devem evitar-se podas nas palmeiras, principalmente nos periodos em que o insecto está mais ativo (Março a Novembro).

Produtos homolgados:

  • Vertimec 018 EC
  • Confidor Classic
  • ACTARA 25 WG

Consulte a Ficha Técnica.

Comercialização e Aplicação:

  • Enquadramento Legal
    • Lei n.º26/2013,  de 11 de abril
      Regula as atividades de distribuição, venda e aplicação de produtos fitofarmacêuticos para uso profissional e de adjuvantes de produtos fitofarmacêuticos e define os procedimentos de monitorização à utilização dos produtos fitofarmacêuticos, transpondo a Diretiva n.º 2009/128/CE, do PE e do Conselho de 21 de out., que estabelece um quadro de ação a nível comunitário para uma utilização sustentável dos pesticidas, e revogando a Lei n.º 10/93 de 06 de abril, e o Decreto-Lei n.º 173/2005 de 21 de out.
    •  Decreto Lei n.º101/2009, de 11 de MaioRegula o uso não profissional de produtos fitofarmacêuticos em ambiente doméstico, estabelecendo condições para a sua autorização, venda e aplicação, e procede à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 173/2005, de 21 de out., que regula as atividades de distribuição, venda, prestação de serviços de aplicação de produtos fitofarmacêuticos e a sua aplicação pelos utilizadores finais.

 

AS AÇÕES DE ARBORIZAÇÃO E REARBORIZAÇÃO COM RECURSO A QUALQUER ESPÉCIE FLORESTAL ESTÃO SUJEITAS A COMUNICAÇÃO/ AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DO INSTITUTO DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E FLORESTAS (ICNF, I.P.).

SR. PROPRIETÁRIO FLORESTAL,

SABIA QUE A NÃO COMUNICAÇÃO/ AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DAS PLANTAÇÕES CONSTITUI UMA CONTRA-ORDENAÇÃO PUNÍVEL COM COIMA ENTRE 1 000,00 EUROS E 3 740,98 EUROS?

 

VENHA TER CONNOSCO AO GABINETE TÉCNICO

FLORESTAL DA FICAPE E INFORME-SE!